• Mariana Sierra

Por que você também deveria ter um projeto pessoal?

Quando você trabalha com prestação serviço, nem sempre o trabalho vai de vento em popa. Durante dias, semanas e, às vezes, meses os clientes simplesmente não aparecem.


Há alguns dias eu fiz um post sobre como atrair clientes e acredito que se ninguém te procura para trabalhar, não é por que não há trabalho, mas por que não estão lembrando de você para aquele trabalho específico, mas isso não muda a realidade de que às vezes não há trabalho, seja por um período curto ou longo.


Mesmo se você tem um trabalho fixo, pode, de um dia para outro, não o ter, não é? E daí vem aquele intervalo entre trabalhos que pode ser recheado de bastante ansiedade.


E o que fazer, então, além de arrancar os cabelos preocupado com as contas que, definitivamente, não dão essas pausas?


Obviamente, continuar em busca de trabalho e de clientes é uma das coisas, mas existe algo que eu acredito que aumenta bastante a qualidade de vida nesses momentos, ajuda a atrair mais contatos e tem potencial transformador. É o projeto pessoal.





Projeto pessoal é aquela coisa que você realmente curte fazer, independentemente do que você faz para ganhar grana. Pode ser até que tenha relação com o seu trabalho, mas provavelmente é algo que você ainda não vendeu. É algo que você investiria seu tempo com prazer mesmo que não houvesse nenhum retorno financeiro.


Normalmente é algo que também tem potencial artístico por que vem diretamente da sua individualidade, e como, infelizmente, no nosso país, como coletivo, não valorizamos muito a arte, a maioria de nós acaba também reprimindo, dentro de si, esse lado. Mas isso não significa que ele não exista.


Para mim, a busca de um projeto pessoal envolveu pensar sobre e responder algumas perguntas.


O que você gosta de fazer?


A primeira vez que respondi essa pergunta para mim mesma, estava há 2 meses sem trabalho e encontrei uma resposta que parecia não levar a lugar nenhum. O que eu mais gosto de fazer é conversar com pessoas, contar e ouvir histórias, mas ali estava eu, trancada dentro de um apartamento. Minha resposta pareceu banal e genérica, parecia mais com algo como fugir do objetivo e ir beber uma cerveja com uns amigos, então eu decidi ir mais a fundo.


Que ferramentas eu tenho para desenvolver essa prazer de forma contínua e crescente?


Isso deveria ser um requisito por que para ser considerado um projeto ele deveria ter uma trajetória e não ser algo que se faz uma vez e depois esquece. E, por isso, subentende-se que há uma evolução durante o processo.


Sim, eu poderia ir atrás daquele cerveja, mas fazer isso de forma contínua e crescente talvez me trouxesse problemas com o álcool. Que outras formas havia? Eu trabalho com vídeo, então essa também é uma ferramenta que tenho e que, definitivamente, quero desenvolver de forma contínua e crescente para ter mais relevância no mercado em que atuo.

Depois de pensar um pouco em como outros desejos também se misturavam, decidi criar uma série. Uma série parecia algo contínuo suficiente e, se eu não precisasse de nada mais além de mim e dos meus equipamentos, parecia também algo que ia criar um crescente de conhecimento que há tempos eu não praticava. Desde que comecei a ganhar dinheiro com produção, dificilmente peguei na câmera ou sentei para editar um vídeo, por mais que as duas funções também me interessem bastante.


Criei uma série de minidocumentários sobre pessoas que eu conheço que e que fazem coisas que acho bonitas, intrigantes ou divertidas. Por mais que, toda vez, eu ache que há tanto para melhorar em termos de técnica, um dos meus compromissos era fazer o projeto ir a público e ir evoluindo com o decorrer dele, não esperar ele ser perfeito para mostrá-lo. Cada vez que me disponho a fazer um novo episódio, entendo melhor os equipamentos e as ferramentas de edição e, mesmo com toda minha auto-crítica, isso já me atraiu, em curto espaço de tempo, alguns trabalhos de filmmaker e até algumas amizades novas e projetos autorais compartilhados.


Não havia só essa resposta correta e essa é a maravilha dos projetos pessoais, eles podem ser qualquer coisa ou mais que uma coisa.


Mais recentemente, como eu também gosto de escrever, resolvi elaborar continuamente artigos sobre meus conhecimentos de produção e isso tem atraído pessoas que eu já conhecia, mas não conversava tanto, pessoas que eu não conhecia, mas que fazem a mesma coisa que eu e pessoas de diversos lugares trocando informações que muito me interessam. Encontrei mais um projeto pessoal que posso desenvolver de forma contínua e crescente.


Considerando o momento atual, tenho observado ainda mais a importância de se ter projetos que não dependam a principio do "mercado" para acontecer. As coisas estão mudando muito e as previsões de que as coisas voltem ao normal são nulas. Os especialistas dizem que o mundo já não é mais o mesmo e as relações entre as pessoas também não será.


Em um mundo novo, você já pensou o que você poderia oferecer? Pode ser insumo com sua plantação própria, pode ser produto com algo que você faz dentro de casa de forma especial, pode ser entretenimento, como a minha série, pode ser educação se você gostar de compartilhar conhecimento…


Além disso, se quando as portas se abrirem, nossas formas de ganhar dinheiro já não existirem mais, ainda assim haveria uma forma de comercio e a experiência diz que as pessoas são contratadas ou recompensados mais rapidamente por algo que já sabem fazer, então por que não começar a desenvolver algo que gosta imediatamente?


Com a abundância de tempo, parece a melhor hora para começar a pensar o que seria um trabalho legal e útil para você e para o novo mundo, mas não se pressione, o momento também é delicado e envolve outras prioridades como se manter seguro e saudável.


Se você não tiver nenhuma idéia hoje, talvez na próxima semana, talvez no próximo mês, mas, quando tudo estiver tranquilo e o tédio começar a querer aparecer, não deixe de tomar um tempo para pensar sobre isso. Se serve como referência, demorei 7 anos para focar seriamente em ter um projeto pessoal e um cerca de um mês para começar a realizá-lo. E você, quanto tempo vai precisar?

2 visualizações
Receba a Newsletter!

© 2010 - 2020 | Gataria Filmes Ltda.