• Mariana Sierra

Planejar x realizar - como concretizar idéias?

Noto que muita gente muito criativa, observadora, inspirada, não consegue sair do plano das idéias e acaba frustrando-se quando se vê imobilizado para tomar a atitude de concretizar algum projeto pessoal ou profissional. Tantas idéias surgem todos os dias e por onde começar para fazer elas realmente sairem do mundo infinito dos pensamentos?


Procurei descrever brevemente meu modo de raciocinar as coisas do começo até o fim e espero que isso também te inspire a seguir uma linha de raciocínio que faça as coisas se movimentarem. O importante é experimentar com algum projeto seu para ver o que poderia ser adaptado e incluir as suas preferências e possibilidades pessoais.

Todas as idéias nascem de outras idéias. - Anish Kapoor


Comece pelo fim.

Não é brincadeira, é preciso ter bastante claro o que é que você quer fazer para realmente conseguir sair da imobilidade e produzir. A mim ajuda bastante escrever e desenhar nesse momento. Realmente colocar no papel (ou na tela do computador) ajuda a visualizar mais claramente os próximos passos.


O começo é cheio de perguntas que você faz para si mesmo, coloque as respostas que tiver todas juntas em um documento, seja ele físico ou virtual. Algumas perguntas não tem resposta ainda, mas também podem ser registradas para estimular uma pesquisa.


Veja o que você quer que seja feito já pronto e note tudo que envolve o funcionamento daquilo. As perguntas mais importantes normalmente são: O que?, Por que?, Para quem?, De que tamanho?, Com que recursos? e Durante quanto tempo?.


Tente nesse momento reunir todas as informações que você tem sobre o que quer produzir e tudo que ainda falta, assim a idéia fica mais palpável e ganha corpo para começar a caminhar.


Depois trabalhe de forma cronológica.

Depois que você já viu o que é o projeto pronto e já tem claro o que quer realizar, precisa começar a tomar atitudes em relação a isso, então é preciso começar a realmente desenhar cada parte do projeto de forma a respeitar a ordem de viabilidade.


Você não pode pintar uma parede antes de levantá-la e nem levantá-la antes de comprar o material e ainda, nem comprar o material antes de saber que tipo de material precisa e aonde encontrar ou saber o que, de fato, segura uma parede em pé. Dessa forma, é preciso fazer uma linha do tempo do projeto.


Poderia chamar essa etapa de "faça um cronograma", mas isso parece burocrático demais, principalmente se seu projeto é pessoal e não para um cliente, por exemplo. Mesmo assim a necessidade de criar uma ordem lógica das coisas, ajuda a termos sempre claro qual é o próximo passo e é sempre isso que estamos em busca, de caminhar consistentemente até ter o produto final.


Divida o macro em vários micros.

Cada etapa do projeto pode ser descrita de várias formas, escolha a mais detalhada e em itens que conseguir. Use listas.


Quanto mais ítens tiver sua lista, mais divertida vai ser a próxima fase. Não pense que a quantidade de ítens é igual a quantidade de trabalho, não é assim que funciona. Na verdade, quanto mais ítens você tiver previsto para realizar, mais certeza de que você não vai ter que voltar atrás e refazer uma etapa toda por que não lembrou de um detalhe importante.


Quanto mais detalhado for tudo que precisa ser feito, menos dor de cabeça você terá e, consequentemente, menos trabalho jogado fora.


Tire da frente.

Nesse ponto, você já sabe tudo que precisa ser feito para realizar o projeto e é normalmente aqui que muita gente para, imobilizada pela quantidade de tarefas e subtarefas que surgiu. Mas como nós sabemos que uma lista grande de tarefas não significa necessariamente um dia inteiro de trabalho, não precisamos seguir essa linha.


Eu normalmente acabo minha lista de tarefas práticas antes do almoço e deixo as coisas mais criativas, que envolvem outras pessoas e as que geram novos projetos para a tarde, independentemente do tamanho ou da quantidade de projetos que eu esteja cuidando. Isso signifca que o mais importante é ter tudo organizado e não poucas coisas para realizar.


Nessa etapa o seu prazer maior é tirar coisas da lista, então comece pelo mais simples e vá indo para o mais complicado. Quanto mais micro objetivos você conseguir realizar, possivelmente mais estimulado também ficará para seguir em frente, acredite.


Se um dia você não estiver muito motivado a realizar nada, veja o que de super simples você tem na sua lista e tente fazer aquilo pelo menos. Normalmente só de começar e ver que conseguiu avançar um passo, a motivação começa a nascer para realizar mais. Se não acontecer tudo bem, cada pequeno passo dado é considerado e descansar pode ser um deles, tenha paciência consigo.


Entenda como envolver mais gente.

Ter outras pessoas trabalhando pelo mesmo objetivo é algo que pode acelerar bastante o processo de realização de algo, não só por simplesmente poder contar com mais braços para isso, mas por que também gera um senso de compromisso maior para todos.


Mesmo assim, é importante saber que horas outras pessoas devem ser envolvidas para que isso não acabe gerando o resultado contrário, ou seja, um adiamento eterno da realização.


Na fase de criação, por exemplo, as pessoas devem poder estar totalmente dedicadas, ainda que em períodos definidos de tempo e sempre com uma data limite. Deixar essa etapa solta e à merce das agendas de várias pessoas, é um bom jeito de nunca tirar o projeto do papel ainda que ele possa parecer caminhar no começo.


Quando já estamos executando as coisas práticas, esse controle de tempo pode ser mais flexível dependendo do objetivo, pois o mais importante é realizar tarefas já definidas e originadas da criação do projeto e cada passo pode ser dado gradativamente.


O importante quando mais gente é envolvida, é nunca esquecer quem desempenha o papel de líder desse projeto. Por mais que existam outras pessoas, uma deve ser responsável por puxar as outras e garantir que as coisas estão caminhando. Se o projeto é seu, mas você não quer ser essa pessoa, precisará contratar ou ter alguém muito apaixonado por sua idéia que pode exercer esse papel. Uma possibildiade também é você ser o lider da parte criativa e ter um lider operacional que puxa você e os demais, mas essa pessoa tem que ser muito comprometida com o resultado final, não adianta achar que alguém vai puxar seu projeto para frente só por que você fez um convite gentil, é preciso mais comprometimento que isso, seja ele emocional ou financeiro.


Às vezes, levar tempo é importante.

Muitos projetos tem prazo para serem realizados, mas muitos não necessariamente tem. Veja qual é o caso do seu e use a seu favor. Se você foi contratado para realizar algo, certamente terá que cumprir as datas do contrato acordado, mas se tem um projeto pessoal, poderá dilatar os tempos conforme for melhor para você e para o projeto.


Não é preciso se martirizar por que ainda não conseguiu concluir um projeto que começou há um ano, cada etapa, por natureza, tem um tempo certo de acontecer, o mais importante é ter certeza que tem todas as etapas descritas e detalhadas e que não está deixando para amanhã um passo super simples que poderia fazer muita coisa avançar.


Se você precisa mandar um email, você pode fazer agora, mas se precisa conseguir um patrocínio, pode levar bem mais tempo.


Às vezes, a própria trajetória do projeto e o tempo que alguma etapa leva, pode te ajudar a redesenhar o plano, o que também é considerado um avanço. Se o patrocínio não veio em um ano, talvez haja uma outra forma de financiar ou de fazer independente que você ainda não tinha considerado. É hora de mudar a rota?


O final nem sempre é o final.

Quando falta muito pouco para sua idéia chegar ao mundo, às vezes você pode se afobar e deixar passar detalhes que fariam toda a diferença. No final, o mais importante não é a entrega, ela já está ali quase que sem você fazer nada, mas sim usar a sua motivação para avaliar se os objetivos principais foram atendidos.


Se você tem o projeto pronto, mas ninguém ficou sabendo, talvez seu esforço tenha sido em vão. Retome o objetivo principal daquela história e não deixe que um grande projeto fique engavetado só por que você já estava cansado demais para continuar a lidar com ele.


Ressalto novamente que o mais importante não é quanto tempo leva, mas ter a noção de que ainda há trabalho a ser feito para alcançar o objetivo que você tinha se proposto.


Envolver pessoas nessa etapa pode ser uma boa estratégia, por que outras pessoas que não estejam saturadas com o processo, podem ver potenciais que você nem tinha imaginado no começo. Quando você tem tudo quase pronto, não esqueça de consultar todas as pessoas que podem precisar ou fazer bom uso daquilo para chegar finalmente no objetivo planejado.

Minha estratégia principal é organizar para manter a roda girando até o final.


Notei com o passar do tempo que quanto mais organizado consigo deixar o pensamento, mais fácil é manter as coisas avançando. É preciso ter foco no detalhe para gerar o objeto maior. Se você tem dúvidas para validar o que precisa fazer primeiro, aconselho que leia um outro texto que escrevi sobre isso, "O que precisa ser feito hoje?" e que foca mais em organização de tarefas.


Espero que isso tenha te dado idéias de como avançar nos projetos que tem dentro de você e que novos projetos possam surgir, por que como dizem, se a vida é a caminhada, o importante é avançar e nada terá sido em vão.


Sucesso!

119 visualizações
Receba a Newsletter!

© 2010 - 2020 | Gataria Filmes Ltda.